Luciana de Abreu

De LEC

Ir para: navegação, pesquisa


Biografia de Luciana de Abreu (1847-1880)

A menina Luciana de Abreu, abandonada após o nascimento (11/06/1847) na Santa Casa de Misericórdia (Porto Alegre), foi adotada em seguida por Sr. Gaspar Pereira Viana e sua esposa. Ambos se comprometeram em criá-la e educá-la. Luciana se destacou , desde cedo, por sua inteligªncia, simpatia e liderança. Além disso, ela desenvolveu um gosto especial no trato de crianças e dedicou-se muito aos estudos, em especial Ã? s letras.

Aos vinte anos, casou-se e dois anos depois, já com uma filha, foi uma das primeiras alunas a se matricular na recém-inaugurada (1869) Escola Normal de Porto Alegre. Diplomou-se trªs anos depois e foi nomeada professora de uma escola pÃ?ºblica no ano seguinte, ao mesmo tempo em que mantinha uma bem-sucedida escola particular.

Luciana de Abreu, tanto se distinguiu nos meios culturais e nos saraus literários, realizados seguidamente em casas particulares, que acabou sendo a primeira mulher convidada a entrar para uma sociedade literária brasileira. Além disso, ela foi a primeira mulher a discursar em pÃ?ºblico em Porto Alegre, tendo subido Ã?  tribuna da Sociedade Partenon Literário para defender o direito das mulheres Ã?  emancipação. Infelizmente, dos discursos de Luciana poucos se salvaram. Apenas trªs foram publicados na íntegra nas páginas da Revista Trimestral da Sociedade Partenon Literário.

Em outras oportunidades, reivindicou o direito Ã?  instrução superior, a liberdade de exercer qualquer profissão e a igualdade de oportunidades (o que implicava o direito ao voto feminino). Mas não só isso: manifestou-se oradora de grandes dotes, mas, infelizmente, poucos de seus discursos se salvaram, pois a maioria deles eram feitos de improviso e somente uma que outra de suas dissertações ficaram registradas em pequeníssimos e inexpressivos resumos.

Luciana de Abreu morreu precocemente de tuberculose após ter completado 33 anos. Hoje, uma rua e uma escola em Porto Alegre receberam o seu nome, sendo elas as testemunhas silenciosas da existªncia desta mulher.

Nota:

Fonte de pesquisa:

Ferramentas pessoais
Espaços nominais
Variantes
Ações
lec
comunidade
Navegação
Ferramentas